Direção: Felipe Mondoni

Duração: 14″

São Paulo

2018

 

Bastião, filho de escrava, e Inácio, futuro herdeiro de um Engenho de Cana, são amigos até que suas condições sociais os separarem. Um triângulo amoroso entre os dois e Elza, vinte anos depois, culmina em uma luta pela sobrevivência.

 

O projeto FÔRRA tem em seu cerne a reconstrução e adaptação de um recorte histórico de extrema relevância para a compreensão da realidade mesmo que ainda separados por mais de um século de sua abolição, em 1888. A escolha da temática acerca da escravidão é gerar primeiramente sensações nos espectadores, para que, assim, através do escancarar naturalista de uma relação opressora entre diferentes classes sociais, matrizes culturais e genéticas, sejam instigados ao máximo àqueles que tiverem o contato com essa obra cinematográfica a debater e discutir não somente a posição do negro, mas também a posição feminina diante da sociedade na qual convivemos.