Inspirados nos diários de Carolina Maria de Jesus publicados no inicio dos anos 60 quando, pela primeira vez na história do Brasil, uma favelada escreve sobre seu cotidiano, os diretores do filme, 50 anos depois, saem em busca de personagens no Complexo da Maré no Rio de Janeiro, de forma a criar continuidades e descontinuidades entre distintas vivências femininas e seus significados de favela. Lá encontram Geandra Nobre, atriz, que ao encarnar Carolina no filme cria uma ponte espaço-temporal entre a personagem e as “Carolinas da Maré”: Iraci, Edilma, Maria da Paz, Vanessa e Genalda. Suas falas e reflexões propiciam uma imagem que escapa da violência e da virilidade masculinas descortinando uma favela vivida literalmente enquanto substantivo feminino.

Direção: Marco Antônio Gonçalves e Eliska Altmann

Duração: 74′

2016